CORPOS

13178577_269107833477523_6571505305057627762_n
Ela beija-me silente e com estranhamento.

São duas bocas que se conhecem, mas nunca se tocaram.
No começo há ajustes e erros, línguas tropeçam, dentes chocam-se.
Depois o fôlego falta, há pausa, encarar de olhos.

E recomeça…

Mãos apertam-se para depois passearem delirantes, por costas, braços, coxas…
Corpos, presos em roupas, enlouquecem e imploram liberdade.
Peitos arfam, roçam-se. A pele esquenta e sua e treme.

E há o retorno à natureza…

Dedos brincam em vãos úmidos. Depois é a vez dos lábios.
A língua penetra e o que é úmido se torna lago, se torna festa.
A boca dela o suga, o lambe, o morde: se farta.

E ambos não querem mais ser um…

Dois entrelaçados, consumindo-se, roçando-se, em arte e poses malucas.
Olham-se e gemem e cantam a canção silenciosa e úmida dos amantes.
Desejo feito carne, o juízo se perde e o cheiro do amor inunda o mundo.

E o que era espera, agora é um gozo quente e farto…

 


MARCOS SILVA

Anúncios

2 comentários em “CORPOS”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s